domingo, 12 de junho de 2011

Eu confesso...

Confesso que na ingênua imaturidade dos meus 18 anos (não que seja desculpa e não é!) maltratei, malcuidei e fui cruel com meu herbie.
Posto que não seria meu em menos de 2 anos, não lhe correspondi a altura. Ignorei os buracos no caminho, deixei-o dias sem banho, dias com a sinaleira queimada.
Bati sem dó 2, 3, 4 ou mais vezes, no portão, num outro carro, na lixeira, no meu outro carro (é eu tive outro carro), arranhei a lataria no pé da roseira, na arvorezinha, na churrasqueira do vizinho. Levei-o (ou ele me levou?) pra praia... SAL, AREIA. Não tratei as feridas e ignorei sua tosse intensa.
Tanto que corri naquelas estradas interioranas, e os morros que desci desembreada. Inconscequente, construiu as histórias, mas não pensou nele.
Fui egoísta, má! E sinto vergonha quando olho pra ele e vejo as marcas, os hematomas.
Porém a  medida que ele despertava em mim um sentimento real, eu ia aprendendo a tratá-lo com carinho e com ternura.
Hoje, Herbie não pode mais nem com o estribo direito, a lata está bem judiada, preciso trocar o relógio do velocímetro.
Mesmo que nada tenha sido proposital, eu não tive o cuidado necessário com ele.
Agora o caminho é longo, talvez lento, mas o êxito certo.
O motor está feito, e eis que anda como nunca, de olhos fechados o melhor Herbie do mundo!!!

Com o pouco que sei, e com a ajuda e conselhos dos meus amigos fusqueiros, pretendo ir arrumando, personalizando e o deixando do jeitinho que ele merece. E assim que pronto, quero ir nos encontros de fusca, conhecer o pessoal e apresentar o Herbie pra todo mundo.
Fica uma foto dele, tal como está.
Me julguem, me xinguem. Mas não duvidem do que sinto, tanto que estou correndo atrás do prejuizo agora.



Beijo da Loira (que já foi má) do fusca!

18 comentários:

  1. Não se martireze tanto...rsrs

    Ahh, e a foto ficou massa d+...

    bjo e td de bom.

    ResponderExcluir
  2. Para nós, os fuscas são assim, como guias que nos ajudam a desbravar o mundo da direção. Compramos sempre fuscas, para "não estragar os carros de verdade" na nossa inexperiência.

    Quando eu era guri, tive um Karmann Ghia 70, lindo, mas eu tinha 17 anos. Reformei, pintei, poli e fiquei sentado dentro dele ouvindo o rádio, esperando chegar aquele ano que faltava. Infelizmente acabei vendendo-o antes de poder dirigí-lo. Talvez tenha sido melhor.

    Depois disso tive dois fuscas. Um deles me levava para a aula, para as festas, para cima e para baixo. Já sabia o caminho do leiteiro para a Av. Azenha, onde quase que todas as segundas feiras eu comprava para-choques, para-lamas, frisos ou alguma parte que eu acabava estragando no final de semana.

    O outro era mais especial, mais potente, mais cuidado e acabou tendo um fim bem mais drástico. Prefiro não comentar.

    Mas os fuscas são assim, eles fazem o trabalho pesado com os motoristas novos (se bem que hoje em dia só os motoristas mais hardcore como você aceitam iniciar num fusca) para que ganhemos experiência e depois possamos dirigir sem maiores danos, "carros melhores".

    É uma das injustiças da vida?

    Talvez.

    Quem sabe tu ficas mesmo com teu besouro e deixa ele com a tua cara. Nos dias de hoje, se o trabalho ficar bem feito, provavelmente ele te recompensará de outro modo, pois a karmann ghia que vendi barato, hoje vale mais do que um "carro bom" zero km.

    Abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Estou certo que seu Fusca está, antes de mais nada, feliz por ter te levado onde você quis. Está feliz por viajar, correr, provar sua resistência.
    Porque os Fuscas tem disso, eles já tem muito tempo de vida, muitas coisas já aconteceram com ele desde que estacionaram em uma garagem décadas atrás. Depois de já ter sido um carro em forma de sonho realizado, quando zero quilometro, ter sido a segundo carro da família quando tinha uns 10 anos de idade e de ter sido vendido a outras tantas famílias que cuidavam dele apenas como era possível, devido a tendencia de cada vez mais um Fusca ir passando por pessoas que TEM de ter um Fusca pelo seu baixo custo de manutenção e que não cuidam de 'detalhes' como óleo ou funilaria, o que nossos Fusquinha esperam é somente poder ser útil e fazer os donos felizes, e fazem. Mas uma amizade nunca é construida sem ser correspondida, portanto os cuidados que terá com seu Fusca a partir de agora farão com que ele te leve muito mais longe, muito mais feliz e indiretamente ele vai fazer você gostar ainda mais dele. É como uma bola de neve que vai crescendo. Quanto mais você cuida dele, mais ele cuida de você!

    Um grande abraço, Loira!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom seu blog e sua história, também tenho um fusca e não vendo ele. O mesmo ja me deu muitas alegrias e algumas tristezas, mas o prazer em pegar a estrada com ele é muito maior do que o prazer de viajar com qualquer outro carro.
    Um resumo da minha história
    Esse não foi o meu primeiro fusca, tive um ano 1979, que após um ano com ele, resolvi vendê-lo e comprar uma moto (Fato que me arrependo até hoje). Andei um ano e meio com a moto e bateu aquela saudade do Fuscão. Pensei em comprá-lo devolta, só que o mesmo estava em um estado deplorável, então comecei a procurar outro, até que um sábado pela manhã, estava andando com a moto na cidadezinha onde moro e eis que vejo o azulzinho estacionado com um adesivo de vende-se. Não pensei duas vezes e fui falar com o proprietário e após aproximadamente 15 minutos de conversa, fechamos o negócio, o Fusca 1977 ja está comigo a 2 anos e espero continuar com ele por muito tempo.
    Também temos o blog do nosso grupo aqui de Estação-RS.
    http://fuskeirosdeestacao.blogspot.com
    Abraço
    Diego Augusto Hoffmann
    Fuskeiros de Estação

    ResponderExcluir
  5. Ô Gui, querido, mas dói sabia...
    E obrigada ^^

    ResponderExcluir
  6. Sábias palavras Vicente. E acho que é isso mesmo. O fusca é o carro escolhido para o trabalho sujo. Justos os que lhe concedem a parte boa também, que é levá-lo para passear ao invés de ser levado por ele, a parte do carinho e do cuidado. Depois de tudo, acho que ele merece isso sim.
    E tu ein, haja força de vontade, paciência e outras qualidades para reformar o fusquinha mesmo sem poder dirigi-lo aos 17 anos, adorei a história!
    Obrigada pela força também!

    Beijão da lôra aqui ;*

    ResponderExcluir
  7. Guilherme², descreveste lindamente o propósito e a existência do fusca. Com tudo isso vocês me deixam mais tranquila, saber que essa história de sofrer é longínqua. E como é bom olhar para trás e pensar por quantas Roses o herbie já não passou e sim, sobreviveu a todas.
    E eu concordo com cada palavra. De um tempo pra cá, minha convivência, minha rotina, minha relação com o herbie vem se estreitando, estamos muito mais próximos e realmente é como se ele respondesse. Chega a soar como maluquice, mas é! Uma maluquice gostosa e divertida!

    Guilherme, obrigada pelas palavras, pelo consolo e pela ilustre visita.

    Um beijo e volte sempre ;*

    ResponderExcluir
  8. Diego, bonita história e ótimo blog, já estou te seguindo lá... muito conteúdo interessante.
    Temos nossos herbies ao mesmo tempo, 2 anos.

    Obrigada pela visita e grande abraço ;*

    ResponderExcluir
  9. Não era um fusca, era um KG.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. como diria a musica da banda reação em cadeia, (Eu fui aos céus com você e ao inferno também), no caso do fusca não seria nesta ordem mas o importante é que você se redimiu e vai trazer esse Fusca novamente aos seus tempos de glória, espero poder ver esse carro pronto nos encontros de antigos. Bjos e sucesso na reforma do Herbie!!!!

    OBS: você me deve um café!!!!

    OBS 2: Vicente Karmann Ghia é um fusca com roupa de fim de semana!!! quem diria o vicente de fusca essa eu não sabia!!!!!hehehehe

    ResponderExcluir
  11. Olá Rose. Olha eu aqui mais uma vez. Caramba, o teu Herbie está muito bem. Tem fuscas ai que infelizmente tem que ser chamados de latas velhas por que estão num estado deplorável. Fique tranquila, batida com fusca é normal, por que você acha que o para-choque dele é de ferro ahuahauahua. E aproveitando eu vou responder a sua mensagem do outro post. Eu não estou reformando o Lino, só mudando umas peças simples, tipo retrovisor e polainas que são de borracha para cromados, mais isso vai demorar mais do que eu pensei. Por que o Lino resolveu pregar uma peça muito má e eu quase me ferrei. Resumindo a historia ele quase me jogou pra fora. Isso ai, a porta abriu do nada quando eu tava fazendo uma curva e quase eu caio. Ai eu percebi que o trinco estragou e tive que comprar outro e fazer o transplante. O Lino é teimoso, quando eu começo a juntar dinheiro para deixa ele um pouco mais bonito ele resolve dar problema e eu gastar esse dinheiro no conserto. Mas mesmo assim eu amo ele!
    Depois eu te mando as fotos, você vai ver que ele é igual o seu, acho que são parentes hauahuahauahua.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Boa escolha rose, comecei a acompanhar seu blog hoje e já gosto muito, eu tenho um 77 amarelo "polentina" conhecido como polentina, na verdade com 18 anos ja tive um fusca ou pedaço de um... mais no dia eu levei uma garota pra sair e fiquei com tanta raiva que logo o vendi e comprei uma moto, depois disso tive uma ipanema que vendi pra dar entrada no financiamento da minha casa, quando sobro uma graninha comprei uma brasilia por 800 reais(ou um pedaço dela) mais estava decidido a nunca mais ter um fusca.. quando minha situação melhorou comprei um palio, mais até minha esposa ficou com saudades da brasa, e por um uma infelicidade minha espoça sofreu um acidende de carro com um amigo nosso e se maxucou gravemente tivemos varios gastos em remedios e tals vendi o palio e adivinha??? isso mesmo peguei a polentina e sabes que eu estou tendo um amor por ela, a minha ideia inicial era ficar ate o final do ano mais..... axo que isso não vai acontecer....
    quero aconpanhar sua jornada quem sabe eu não a siga


    bjs

    ResponderExcluir
  13. parabéns pela história, e pelo [s]talvez[/s] arrependimento. Muitas e muitas vezes somos levados pelo nosso egoismo e soberba a esquecer de nossos companheiros que - sim - nos levam e trazem no momento que a gente quer, algumas poucas vezes reclamando, mas muitas, sorrindo e todo pimpão pelas estradas.

    grande abraço

    Lucio - OBV

    ResponderExcluir
  14. Mas então meninos (Vicente e Joseano), grandes revelações! hehehehe Figurinhas.

    E Joseano, querido, pode deixar, assim que pronto não vai ter parada pra mim e pro Herbie, faremos presença nos encontros de fusca e nos encontramos num desses hehehe.

    Abraço.

    Obs.: te devo um café?

    ResponderExcluir
  15. Tão bom ouvir vossos pontos de vista. Me sinto muito mais aliviada quando leio as histórias semelhantes ou mesmo a opinião de vocês.

    Fabrício,só podem ser parentes mesmo, porque até o problema da porta que se abre sozinha tem eiuhoeoeieoieheh Só que no Herbie é a porta do carona. Uma vez quase perdi umas mini passageiras #medo eioheoeioei
    E manda as fotos mesmo querido, estou curiosa pra saber as semelhanças entre Lino e Herbie. hehehehe
    Abraço e obrigada por acompanhar o blog.

    ResponderExcluir
  16. Dieter, bacana a tua história! Fuscas são assim, eles nos surpreendem sempre e têm um carisma sem igual. Não se surpreenda se chegar final do ano e você ficar meeega divido, e seu lado emoção apontar e quase te obrigar a fica com o Polentina. Mas, te adianto, se a tua escolha for a de ficar com ele, vais perceber que tudo muda, tudo se torna mais gratificante depois. Digo por mim, como mudei depois que decidi ficar com o Herbie.
    Mas, boa sorte aí com o Polentina e fico muito feliz que tenhas gostado do blog.

    Grande abraço e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  17. E Lúcio, é arrependimento sim. E adorei o todo pimpão eioheoieeoiheeoih acho que é a palavra que mais descreve o jeito e o orgulho quando estamos a bordo de nosso WV.
    Gostei bastante do OBV, parabéns pelo blog!
    E obrigada pela visita..

    Beijo da Loira aqui ;*

    ResponderExcluir
  18. muito bom seu blog e é bom ver que existem muitas pessoas com você, que respeitam esse senhor que atravessa varias gerações com muita força. quanto a reforma e ela vei acontecendo aos poucos e ela sabe e sente o amor que você sente por ele, valeu...

    ResponderExcluir